ARTIGO: A IMPRENSA OPERÁRIA ANARQUISTA: GÊNERO, LEITURA E SENTIDO, DE VANICE MARIA OLIVEIRA SARGENTINI (2001)

IMPRENSA OPERÁRIAA construção do percurso de reivindicação e conquista de alguns direitos trabalhistas, no início do século, deu-se por meio da produção de textos panfletários, contos produzidos pelos proletários e textos literários, expondo, no meio de circulação, o interdiscurso de exploração dos trabalhadores e do privilégio da burguesia. Pretendemos avaliar, nesta comunicação, como a variedade de gêneros, que sustentaram o discurso anarquista, permite o delineamento dos diferentes lugares sociais e ideológicos de onde parte o discurso, bem como para quem é endereçado. Para sustentar nossa avaliação, consideramos que a tipologia vincula-se às coerções tipológicas, que articulam no texto o como dizer ao conjunto de fatores do ritual enunciativo. Fatores como o meio de circulação do texto, o ato de fala que este pretende, a reação que o texto provoca no enunciatário, o lugar e o tempo em que se instala o enunciador, mostam-nos que as condições de produção e a enunciação são relevantes na determinação do gênero.

ARTIGO COMPLETO.